Arquitetura, Decoração, Mercado de Arte

Qual a diferença entre Art Nouveau e Art Deco?

Quando comecei a trabalhar com arte e antiguidades, perguntei ao meu pai “Pai, qual a diferença de Art Deco e Art Nouveau?”. De forma rápida, ele me respondeu “Se tem flores, é Art Nouveau, se não tem, é Art Deco”. Foi uma forma bem simples de caracterizar os estilos, mas para uma cabeça que ainda não estava tão preparada quanto a minha, foi um pontapé inicial para entender as diferenças entre eles.

Apesar de definições quase opostas, Art Nouveau e Art Deco muitas vezes são confundidos. Seja pelo uso de materiais presentes em ambos os estilos, como o ferro exposto, ou por linhas similares, estas formas de expressão podem gerar confusão na hora da definição. Para entender a diferença, vamos destrinchar estas duas vertentes artísticas e acrescentar um pouco de contexto histórico.

Art Nouveau (1890-1920)

Art Nouveau é uma expressão francesa que se traduz em Arte Nova. Este estilo artístico é considerado como os primórdios do Modernismo. Rompendo com as tradicionais linhas e arte acadêmica do século XIX, Art Nouveau foi fortemente influenciado pelas estruturas e formas naturais do mundo, como as flores, plantas, insetos e principalmente as curvas. Criado em 1890 e perdurando até meados de 1920, as diversas formas de expressão artística foram profundamente modificadas, afetando não só a pintura ou os objetos decorativos, como arquitetura e até mesmo a cultura global.

Art Deco (1910-1930)

O estilo mais popular entre as duas Guerras Mundiais, Art Deco, diferente de seu antecessor, utilizou linhas mais duras, geométricas e simétricas para se expressar. Surgindo em 1910 até meados de 1930, Art Deco consagrava de uma vez por todas os progressos sociais e tecnológicos da época. Além disso, o estilo era atrelado à glamour, sofisticação e exclusividade, principalmente nos primórdios, quando eram usados materiais nobres, como prata-de-lei, marfim, madeira-de-lei e outros tantos.

Contexto Histórico e Influências

Quando falamos de Art Nouveau e consequentemente Art Deco, é imprescindível conversamos sobre Belle Époque, a era de ouro da beleza, inovação e paz entre os países europeus. As inovações tecnológicas e progressos sociais viviam sua melhor época. Arte e cultura estavam em plena ascensão e desenvolvimento. Paris era considerada a capital mundial de cultura e referência com as novidades que invadiam diariamente a vida do cidadão europeu, como cinemas, cafés, espetáculos e avanços tecnológicos, como o telefone. A Belle Époque durou de 1871 a 1914, terminando com a Primeira Guerra Mundial.

Cabarés Le Ciel e L’Enfer: 53 boulevard de Clichy, 75009. Dois cabarés, lado a lado no mesmo endereço, fundados por Antonin Alexander em 1892, com referências à obra de Dante Alighieri.

Neste contexto de inovações em todos os campos sociais, era natural que as formas tradicionais do século XIX fossem contestadas. Nascia então a Art Nouveau, nome que literalmente expressava o que esta vertente artística queria dizer, Arte Nova. Contrariando não só as Belas Artes, o estilo pode ser considerado como “total”, pois engloba os mais diversos campos do design, como arquitetura, design de interiores e objetos decorativos. Art Nouveau era considerado um lifestyle por muitos europeus, que centralizavam e traziam para si tudo que poderia ser produzido dentro do estilo.

A Europa e os Estados Unidos viviam uma época de efervescência cultural. As linhas e formas orgânicas tomavam conta desde anúncios gráficos como do design de móveis e arquitetura. As mais diversas influências ajudariam a construir o Art Nouveau. As formas planas e cores fortes das xilogravuras japonesas de Hokusai do final do século XIX, por exemplo, foram muito importantes para referência artística de alguns grandes nomes da época, como Emille Gallé. Além disso, grandes empresários como Siegfried Bing e Arthur Lasenby Liberty, muito influentes na época, ajudaram a difundir a arte japonesa em Paris e Londres, respectivamente.

Quase no fim da Belle Époque, um novo estilo surgia. O Art Deco avançava com linhas sóbrias, duras, geométricas e simétricas. Considerado como ultramoderno na época, seu nome surgiu apenas em 1925, devido a  Exposition internationale des arts décoratifs et industriels modernes (Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas), Art Deco nada mais era que uma abreviação para Arts Decoratifs (Artes Decorativas). Para a Exposição Internacional de Paris de 1925, a premissa era apresentar apenas objetos modernos, sem cópias de estilos antigos. O cubismo também influenciou muito os designers e artistas da época, com a premissa de simplificar formas, algo muito apreciado no Art Deco.

Ligado ao glamour, Art Deco rapidamente se espalhou pelo mundo influenciando grandes arquitetos e decoradores. Obras impressionantes tomaram forma desde 1910 a 1930, como os tão conhecidos Empire State Building e Edifício Chrysler (ambos de 1930) nos Estados Unidos.

Mas afinal, qual a diferença?

Lendo o texto, parece óbvio a diferença visual de Art Nouveau e Art Deco. Porém, por terem surgido em períodos próximos e até mesmo coexistido, muitas vezes os estilos se aproximam tanto que tornam a distinção entre eles mínima. Portanto, para além do contraste óbvio das formas, podemos dizer que Art Nouveau rompe com as linhas tradicionais do século XIX, impondo uma nova forma de pensar e criar, inspirando-se na natureza e na estrutura natural das coisas; enquanto Art Deco visa a simplificação da forma (ainda que às vezes nem tão simples assim) e a utilização da geometria para agradar os olhos ainda mais modernos do início do século XX.

Podemos concluir também que ambos os estilos são uma porta de entrada fundamental para o Modernismo. Com os avanços e progressos tecnológicos e sociais, linhas mais funcionais são criadas e adotadas pela sociedade.

Voltar para lista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *